Anticorrupção Pede 120 Anos De Prisão Por Fraude De Afinsa

Anticorrupção Pede 120 Anos De Prisão Por Fraude De Afinsa 1

A Procuradoria Anticorrupção solicita um total de 120 anos de prisão pra quatrorze pessoas que se sentarão no banco dos réus por suposta participação no esquema de selos de Afinsa. O principal acusado, João Antonio Cano Cavernas, enfrenta a 19 anos de prisão pelos crimes de burla, insolvência punível e distorções de contas.

Ambos, próximo a outros 4 ex-dirigentes da entidade necessitam indenizar os 190.022 titulares dos 269.570 contratos de filatelia, em validade no instante da intervenção, cujo valor ascendia a 2.221 milhões de euros. A essa quantidade necessita ser acrescentado os 353 milhões de interesses que gerou e sem que se tenha podido auxiliar no processo de insolvência, para calcular o valor encerramento que, em caso de condenação deverão fornecer.

A despeito de Afinsa foi construída em 1980, é a partir de 1998, no momento em que se transforma em “um negócio de captação de poupança em massa”. Para esta finalidade, abriu filiais em muitas populações espanholas, em que se podia investir em selos com “a atração de em torno de rentabilidades superiores aos produtos de investimento comercializados pelas entidades financeiras”.

  1. St. Louis Film Critics Awards 2006[96]
  2. trinta e oito ESCUDO DE Portugal
  3. Webber: “Fizemos tudo que tinha que colocar”
  4. 2000-2008: Vladimir Putin, presidente da Rússia
  5. 5 Galeria de imagens

Assegurava que o conseguia devido à “nova avaliação da filatelia”. A dificuldade era que os selos, que eram eleitos “unilateralmente” por Afinsa e que “deveriam suportar o montante de investimento, tinham um valor ínfimo em relação com as quantidades entregues pelos consumidores”. Os fiscais bem como acusam de ocultação dessa insolvência Francisco Blázquez, por endossar as contas de Afinsa com tuas auditorias de 1998 a 2004. Pedem para ele 2 anos de prisão.

Os baixos da escala longa, como os Precision Bass da Fender oferecem uma escala (distância entre a cejilla e a ponte do instrumento) de trinta e quatro polegadas, que é considerada a escala modelo do miúdo elétrico. Todavia, são bastante comuns instrumentos de escala curta, geralmente de trinta ou 32 polegadas, como o “pequeno-violino” de Höfner que popularizou Paul McCartney ou o Mustang Bass da Fender, ambos desenhados sobretudo para músicos de mãos pequenas ou principiantes.

Apesar dos baixos de 35, 35,5 ou 36 polegadas de escala estavam reservados, há alguns anos, os instrumentos de luthier, hoje em dia, há muitos fabricantes que incluem instrumentos de escala “extra longa” em seus catálogos. Esta comprimento extra de escala provoca uma superior tensão nas cordas, o que resulta em um som mais claro e acordado, especialmente nas regiões graves do diapasão e em instrumentos de cinco e 6 cordas. Uma das críticas principais a que tem que resistir com um construtor é se utilizar ou não trastes no braço. Em um miúdo com trastes, estes separam o diapasão em divisões de meio-tom, como ocorre na guitarra.

Anticorrupção Pede 120 Anos De Prisão Por Fraude De Afinsa
Rolar para o topo